Gay assume filho de namorado 100% passivo e ainda chama a mãe para morar junto



Quem me conhece sabe que tenho blog desde 2001, quando a Internet era só uma criança. De lá pra cá sempre bloguei com gosto. Entretanto, por conta de vírus em servidores não muito confiáveis, perdi centenas de posts antigos ao longo dos anos e agora estou retornando, novamente, mas ainda preocupado com esses ataques (embora o servidor atual chamado SiteGround me dê muita segurança!).

O que quero dizer com essa introdução é que muita gente me conhece por conta dos meus escritos e a forma sincera que costumo falar sobre temas polêmicos. Certa vez publiquei no meu antigo blog sobre alguns casos reais de pessoas que marcavam encontros por meio de aplicativos de pegação e, infelizmente, se davam mal (aliás, virou vídeo no meu canal e um novo post, se tiver tempo, assista e leia!). Enfim, na época recebi diversos comentários de gente dizendo “Você é escritor e tudo o que narrou foi criação da sua mente!“. Sim, além de outras coisas, também sou escritor e muito criativo (modestamente!), mas nem tudo o que eu escrevo é fantasia ou invenção. Como o caso que vou narrar agora mesmo! E vou narrar pra vocês perceberem o quanto a vida é diversa, as pessoas são diversas e as vivências também são diversas. Quer ver? Vamos lá.

Tenho um amigo muito antigo e querido. Gay. Que me ajudou muito a lançar meu primeiro livro chamado O Armário (sobre a homossexualidade) em 2006. Com o tempo, nossas vidas tomaram rumos diferentes. E raramente a gente se encontra. Das ultimas vezes que nos falamos ele estava namorando um rapaz, evangélico, 100% passivo (que só gosta de ser penetrado: essa informação seria irrelevante se ele mesmo não se vendesse assim pro mundo, sempre deixando claro que jamais penetraria homem ou mulher pois nunca gostou!) e que estava com muita dificuldade com a família religiosa: eles o expulsaram de casa e meu amigo, que era seu atual namorado deu todo o suporte pro rapaz.

Tempo passa, novos desencontros (mas o carinho e o amor sempre foi o mesmo!) e a grande notícia bombástica a ultima vez que nos vimos (tem uns dois anos):

– Tudo bem com você?
– Sim, tudo sim!
– E seu namorado, bem também? Apartamento novo! Muito feliz por vocês!
– Sim. Mas vou te contar uma coisa.
– O que?
– Lembra que ele sempre foi 100% passivo durante todos esses dez anos? 
– Sim, claro. Gosto é gosto. Cada um é cada um.
– Então. Ele apareceu com um filho esses dias de um ano de idade. E me apresentou a mãe da criança também.
– Não acredito! Estou em choque! E você?
– Você sabe como eu sou. Eu o amo. E fui conhecer a criança e a mãe.
– E ai?
– E ai que resolvi adotar a criança. Conversamos e vamos criar juntos.
– Sério? Que legal. Vai criar você e seu namorado?
– Não. Vamos criar a criança nós três. Eu, meu namorado e a mãe da criança, que já conheci, é uma fofa e já esta morando com a gente também.
– Nossa! Que história incrível. Um dia vou contar sobre ela no meu blog. Mas mantendo o anonimato, claro. As pessoas precisam conhecer essa história. E saber o quanto a vida é diversa. Se vocês estão felizes assim, que assim seja! O importante é o amor e a felicidade, sempre! E ninguém tem nada a ver com isso! Felicidades!

Nos despedimos. O tempo passou e os três estão juntos até hoje. Lembro de acompanhar algumas postagens deles nas redes sociais. Mas como esse meu amigo é programador e mudou de emprego, para evitar que as pessoas cuidem de sua vida, decidiu deletar tudo. O que sempre achei fofo foi ele postando fotos dele com a criança, que agora é dele também. Daí a gente fica pensando, outra pessoa ficaria puta com a situação, mas ele encarou de boa e agregou todo mundo. História bem diferente, mas que é real. Não é invenção minha. Acho que nem sou tão criativo pra tanto!

Só que essa diversidade humana realmente existe. O que importa é que o amor sempre vence, não? Entre outras histórias diversas. Tem alguma? Registra nos comentários. Apenas evite citar nomes. Anonimato sempre, tá?

Beijo grande e vamos ser felizes, sempre. Isso é o que importa. Não?








Fabrício Viana é jornalista (MTB 80753/SP), escritor premiado e bacharel em psicologia. Com mais de 20 mil leitores, Viana é autor do livro O Armário (sobre a homossexualidade), Ursos Perversos (literatura erótica), Orgias Literárias da Tribo (coletânea LGBT premiada), Theus: Do fogo à busca de si mesmo (romance com temática gay) e outras publicações. Entre seus projetos, destacam-se o Educando Para Diversidade e a Bons Livros Editora Digital. Siga seu Canal no Youtube e suas redes sociais.
Aproveite sua visita e compre a versão impressa
ou digital dos meus livros (LGBTs, MKT e Psico) neste link fabricioviana.com/livros



Tem um tempinho? Assista a apresentação
do meu Canal no Youtube:











1 COMENTÁRIO

  1. Acho admirável pessoas que conseguem passar por cima do ciúme (da possessividade) e viver assim. Numa sociedade que gosta de podar a todos e colocar tudo quanto é pessoa numa gaveta rotulada, este tipo de diversidade saudável merece palmas ^_^

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.