Como encontrar homens gays adeptos ao poliamor e/ou relacionamento aberto?



Estes dias, no meu stories do Instagram (aproveita e me segue lá!), abri para perguntas e duas delas, foram estas: “Como encontrar gays que gostem de poliamor” e outra “Como encontrar homossexuais que gostem de relacionamento aberto”.

É lógico que eu respondi. Mas, antes, para quem não sabe a diferença, relação aberta, é quando um casal abre a relação para sexo com terceiros. Esse sexo com terceiros pode ser juntos (geralmente é junto!) ou separados (mais difícil de acontecer, mas acontece!), entretanto, eles não se permitem ter envolvimento afetivo (namorar, trocar alianças, etc).

Já a relação poliamorosa vem do poliamor: amar mais de uma pessoa ao mesmo tempo. Também, é muito comum que um casal namore um terceiro. Mas pode acontecer de um dos casais ter um namorado, e o outro, outro namorado ou nenhum (como era meu caso alguns meses atrás). Na verdade, varia de casal para casal e a configuração de sua relação: na dúvida, pergunte!

Logo, podem existir casais que tenham os dois (também meu caso), onde são poliamorosos e também tem relação aberta. E não, não é confuso. Como disse, mais uma vez, cada caso é um caso. Aliás, tenho um vídeo no meu Youtube que faz muito sucesso: Como namorar um casal. Se puder, assista!

Mas voltando para a pergunta. A minha resposta foi enfática. Primeiro, a maioria das pessoas não aceitam relação aberta e nem poliamorosa. Inclusive, falar isso na roda de amigos ou abertamente no seu Facebook, pode criar muitas inimizades. Sim, experiência própria. Quem é monogâmico acredita tanto na ideologia do romantismo que o defende cegamente: logo, tudo o que você demonstra é um ataque feroz a suas próprias vidas e relações (a maioria das pessoas são muito inseguras em suas relações!). Mas, fazer o quê? O que eu disse nas respostas (desculpem, mal de escritor escrever muito) é que, onde a maioria não concorda com essas relações, você deve procurar grupos de pessoas gays que gostem das mesmas coisas que você. E eles existem, e são muitos!

Por isso, tem diversos grupos de poliamor no Facebook. Inclusive, tem um grupo de Poliamor Gay onde diversos casais procuram um terceiro. Ou homens gays sozinhos, procuram casais ou ainda outro cara para formar um casal e procurar um terceiro. Ou quarto. Tudo é possível. Assim como existem muitos grupos de pessoas adeptas ao relacionamento aberto (tanto heterossexual, quanto homo ou bissexual). Basta procurar!

O que precisamos entender é que, se uma relação a dois já é complicada de acontecer (tem uma série de fatores que precisam “se encaixar”, além da vontade dos dois), relação a três, quatro ou mais é mais complicada ainda, pois os fatores para dar certo diminuem drasticamente. Mas, nada é impossível. A dica é sempre essa: nunca force nada. Não entre em uma relação poliamorosa apenas para dizer que esta em uma relação poliamorosa.

Relacionamentos, aberto, fechado, poliamoroso, enfim, tem que ser algo bom. Você esta bem consigo mesmo, se relaciona com outra pessoa (ou outras pessoas) para melhorar o que já está bom. Não entre em uma relação se você está fragilizado, ruim, etc. Como se ela fosse resolver todos os seus problemas. Primeiro resolva-se. Assim como você quer ser feliz, outras pessoas também buscam a felicidade. E não problemas. Claro que, nem tudo é perfeito. Somos falhos, temos altos e baixos. Mas entrar em uma relação apenas para estar em uma relação, pode ser uma grande furada: mesmo porque hoje é possível viver sozinho, sem sentir solidão e criando alguns vínculos afetivos e sexuais com amigos.

Só para finalizar, tudo o que você quer, procurem semelhantes. No meu romance gay chamado Theus, embora uma obra de ficção, coloquei de propósito um casal gay com relação aberta e poliamorosa. Se puder, leia. Vai ajudar a entender muitas coisas. Inclusive, lá os personagens recomendam outros livros sobre o tema. Não por acaso é um dos meus livros que mais faz sucesso (embora não seja o foco principal do romance homoerótico: verdade, também tem muita cena de sexo).

É isso. Espero que tenham gostado. E recomendem. Compartilhem. Afinal, eu nunca disse em lugar algum: seja gay, abra sua relação, seja poliamoroso ou afins. Cada um é cada um. Tudo tem sido bom pra mim. Mas não necessariamente será bom para o outro. Se tentar e não curtir, paciência. Talvez não seja sua praia. Apenas não critique quem pratica. Combinado?






Fabrício Viana é jornalista (MTB 80753/SP), escritor premiado e bacharel em psicologia. Com mais de 20 mil leitores, Viana é autor do livro O Armário (sobre a homossexualidade), Ursos Perversos (literatura erótica), Orgias Literárias da Tribo (coletânea LGBT premiada), Theus: Do fogo à busca de si mesmo (romance com temática gay) e outras publicações. Entre seus projetos, destacam-se o Educando Para Diversidade e a Bons Livros Editora Digital. Siga seu Canal no Youtube e suas redes sociais.
Aproveite sua visita e compre a versão impressa
ou digital dos meus livros (LGBTs, MKT e Psico) neste link fabricioviana.com/livros



Tem um tempinho? Assista a apresentação
do meu Canal no Youtube:











DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.